Desenvolvendo uma Cultura de Intraempreendedorismo: Estratégias e Benefícios

Nos últimos anos, o conceito de intraempreendedorismo ou empreendedorismo corporativo vem ganhando cada vez mais importância nas corporações devido ao avanço tecnológico. Mas sempre pode bater a dúvida sobre como criar uma cultura de intraempreendedorismo, né? Então, bora papear sobre alguns pilares e métodos que podem te inspirar.

O que é?

Antes de mais nada, é importante dizer que uma cultura intraempreendedora tem como foco incentivar a motivação dos colaboradores e estimular o empreendedorismo organizacional. Ou seja, motivar a curiosidade, inovação, tomada de decisão, proatividade e liberdade de ideias – assim como o desenvolvimento – de todos. Uma empresa que seja de fato intraempreendedora proporciona, também, transformações significativas que vão desde melhorar processos até salários e recompensas. Afinal, empresas são feitas de pessoas e sem elas, nada é possível.

O intraempreendedorismo é seu melhor trunfo:

Em um jogo de cartas, a pessoa na mesa que mais tem vantagem é aquela que possui as melhores cartas. No mundo corporativo é parecido: é preciso manter a sua equipe engajada e desafiada. É aí que entra a cultura de intraempreendedorismo, com sua liberdade, metodologias ágeis e pluralidade de ideias. Algumas das metas de uma cultura inovadora são:

– Desenvolver perspectivas;

– Recompensar as ações empreendidas;

– Tentar e experimentar;

– Criar e desenvolver;

– Proporcionar recompensas pelas ações empreendidas.

Bem, agora que entendemos um bocado do conceito, é hora de ir pra prática. Listaremos aqui três formas que você pode adotar na sua empresa:

Proporcionar mais autonomia e liberdade às pessoas:
Fazer isso não é trabalhar isoladamente ou sem uma rede de apoio, mas sim saber que erros podem ser cometidos. Não dar feedbacks negativos ou críticas constantes, entendendo que estamos em constante aprendizado, entre erros e acertos.

Construir confiança. A sua empresa deve ser um lugar onde há confiança no trabalho do outro, na organização do tempo e esforço. Ofereça ferramentas para conquistar objetivos e metas alcançáveis, além de delegar decisões. Com isso, o colaborador assumirá alguns processos naturalmente, sem a necessidade de um aval superior constante.

Horizontalize a hierarquia:
Dentro da organização, todos devem ser tanto executores dos processos quanto tomadores de decisão, criando um sentimento de dono. Isso permitirá que as pessoas se sintam responsáveis por suas ações e projetos, incentivando e melhorando suas soft e hard skills.

Delegue desafios para que as pessoas transformem-nos em tarefas e se divirtam resolvendo-os (conceito de learning by doing).

Invista em programas de recompensas e inovação:
Recompensar é um investimento, pois você está retribuindo o engajamento das pessoas. Crie programas de incentivo financeiro, como participação nos lucros ou benefícios.

Ouça e leve a sério as sugestões dos colaboradores, pois elas podem gerar ideias brilhantes e informações valiosas. Parabenize publicamente as ideias e projetos que deram certo, seja em um comunicado ou no LinkedIn.

Além disso, invista em programas de inovação ou programas de intraempreendedorismo, com os quais podemos te ajudar. Nossa especialidade é explorar, recolher ideias, separar colaboradores em grupos e entender suas dores; cocriação, auxiliando na elaboração das soluções e na estruturação dos projetos com mentorias, sprints e prosas; e demoday, onde testamos e colocamos em prática o que foi decidido em conjunto.

Exercitar a cultura do intraempreendedorismo é incluir e desenvolver ainda mais todos da sua empresa, criando uma mentalidade empreendedora. Quando se dá espaço para isso, você pode ganhar um novo produto, negócio, sócio e um ambiente mais aberto, plural e transformador. É só coisa boa. Se você quer inovar, chama no contatinho, estamos aqui para te ajudar!

Veja Mais

Cultura

Desenvolvendo Intraempreendedores.

Quantos cursos você já fez? De quantas palestras você já participou? De quantas fontes você já bebeu? Eu imagino que milhares! Mas a grande pergunta